Sobre o conteúdo desse blog:

Se alguma foto nesse blog for de sua propriedade entre em contato que mencionaremos a autoria. O que fazemos é editar as fotos e colocar mensagens, e caso se sinta lesado, informe-nos que ou daremos os devidos créditos ou removeremos sem problema algum. Porém lembramos que as fotos são retiradas do Google.

24 de abril de 2017

Lições terapêuticas de sentimentos

Joguei-me no desconhecido sem saber se estava certo ou errado. Errei, acertei, mas fiz o que achava que deveria. Ouvi pessoas céticas, descrentes da Medicina. Mas a diferença na vida da Jaqueline foi a minha postura. Correta ou incorreta não cedi às opiniões que me colocavam para baixo.

Algumas vezes, confesso que fui influenciada na maneira que deveria cuidar dela e errei. Outras acertei e essas opiniões foram válidas. Mas com tudo isso aprendi a ter responsabilidade nas minhas decisões e a me impor diante de cada passo. Se errasse por mim ou não, aprenderia mais uma lição.

A minha intuição foi certeira na maioria das vezes. É aí que eu acredito no poder de uma mãe amparada por algo muito maior. Mesmo quando tudo parecia perdido, insuportável me achando tola e incapaz, tudo se transformava em uma afirmação de que eu era apenas uma mãe em construção. E nenhuma mãe é perfeita. Ela é como um filho: está aprendendo, se desenvolvendo, caindo e levantando.

Muitas pessoas são limitadas em relação ao outro porque apegam-se à aparência. Ela não diz tudo sobre a pessoa. Não possuem a capacidade de VER além do que acham que enxergam. Isso não me incomoda, afinal o olhar do outro é dele e não condiz com o que penso da minha filha. Consigo vê-la de maneira evoluída, forma essa que muitos não alcançam.

Quando percebo que algo possa me abalar, lembro-me de tudo que ela superou. As pessoas ACHAM mas não SABEM das coisas. Nós a conhecemos, e o olhar dela é o mais puro e bonito possível. Para nós, ela sempre foi e será bem vista e ela não se importa com o que pensa. Aliás, eu acho que o preconceito é um pensamento de cada um, eu não fico por aí caçando olhares diferentes, acho isso paranoia e mesmo que muitos não respeitem eu tenho atitudes de respeito para com o próximo. Não é pelo fato de ela precisar de cuidados especiais que o mundo deva parar pra ela passar e o mesmo cuidado que gostaria que tivessem com ela, eu faço mesmo não recebendo de volta.

O importante de tudo é o AMOR! A estrada é de lutas, mas a superação é contínua de todos nós. Temos fraquezas como todo ser humano e não somos máquinas portáteis de fortaleza. Mas em momentos desafiadores nos armamos de coragem e enfrentamos pois é assim que a nossa filha tem feito desde que nasceu. 

A nossa busca deveria ser simplesmente VIVER. Esquecemos desse viver plenamente e intensamente pelas preocupações do dia, pelos problemas, pelas dificuldades e tristezas esquecendo das coisas mais simples. Quando percebemos a vida vai passando ou ela passando por nós dando tchau da janela de um ônibus e a sensação é que estivemos sentados sem vê-la corretamente. A vida não tem manual, e pode ser simples e complexa em diferentes situações para diferentes pessoas.

Quando vejo a minha filha vivendo, rindo, (rindo até de si mesma e das pessoas), brincando, gargalhando, amando, abraçando, sentindo, chorando e seguindo eu penso que todos nós devemos ser assim. Até as partes difíceis são importantes. Cheguei viva ao ultrapassar todas elas e são suportáveis com uma dose de doçura. Ela viveu quando muitos achavam que ela morreria e nem eu acredito às vezes o tanto de coisa boa e bonita ela tirou de tudo que enfrentou na vida dela. Com toda a certeza ela é um espelho e fontes diárias de aprendizado em lições terapêuticas.


Adriana Silva


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...