25 de março de 2013

O verso e a cena


"O dourado da pedra.
O dourado da flor.
O que dura do tempo?
Só aquilo que foi guardado pelo amor."

"Sobre a terra adormecida e mergulhada
em silêncio e pausa,
prevalecem os murmúrios harmoniosos
das flores que se sabem belas."

"O tempo da permanência não importa.
O que verdadeiramente conta é o que
deixamos quando partimos."

"Flores e florescências.
Luzes de inocência.
O Sagrado deixou seus rastros.
Aqui."

Livro: O verso e a cena - Fábio de Melo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...